domingo, 31 de outubro de 2010

"POESIA NO BLOG DO POETA - AMAR...”

*
Eu quero te amar
De um jeitinho bem diferente
Dar-te amor, sem nada cobrar
Só para ver-te sorrindo contente.
**
Deixa eu te amar
Com a forca de um tufão
Fazendo tudo para alegrar
Este teu sofrido coração.
***
Eu quero te amar
Com candura da inocência
E não deixar de sonhar
Como na adolescência.
****
Deixa eu te amar
Como a castidade da natureza
Sem ciúmes para azarar
Nossa união de pureza.
*****
Eu quero te amar
Respeitando teus ideais
Sem tentar te atrapalhar
Com tratamentos formais.
******
Deixa eu te amar
E te dar meu coração
Ver nosso amor incendiar
Com a forca da paixão.
*******
Eu quero te amar
Sem nenhum preconceito
E a todo instante aproveitar
O que me oferecer com respeito.
********
Deixa eu te amar
E não te importas com nada
Deixe quem quiser falar
Isto é inveja, minha amada.
*********
Eu quero te amar
Num ritmo desesperado
Aproveitando enquanto durar
Este sentimento sagrado.
**********
Deixa eu te amar
Como a beleza da flor
Que vive sem se importar
Com o sofrimento e a dor.
***********
Eu quero te amar
Até mesmo em outra vida
Chegando lá vou te esperar
O amor não morre minha querida.
************
Deixa eu te amar
Pois foi este o ensinamento
De quem deu a vida para nos salvar
Sem reclamar do sofrimento.

Poeta: Joaquim da Rocha.

"Governador Cid Gomes e senador Tasso Jereissati se encontram no Rio"

No último debate ocorrido na Rede Globo, antigos aliados não se cumprimentam
Por: Donizete Arruda

O governador Cid Gomes e o senador Tasso Jereissati dividiram a plateia do último debate da Rede Globo na noite desta sexta no Rio de Janeiro. Tasso estava no lado reservado ao candidato José Serra. Cid era um dos convidados da candidata Dilma Roussef. Apesar de dividirem o mesmo auditório não houve cumprimentos entre os antigos aliados políticos e hoje adversários.

Cid ainda foi obrigado a passar por uma saia justa durante o debate. Uma das escolhidas para fazer pergunta aos candidatos José Serra e Dilma Roussef foi a costureira cearense Vera Lúcia que relatou ter sido vítima de um assalto com uma arma em sua cabeça. Ao ser apresentada a pergunta, houve um misto de ironia e cobranças a Cid por petistas que estavam ao seu lado diante do problema existente. Cid deu sinais de que não gostou apesar da reação.

Ao final do debate, Cid saiu acompanhado da candidata Dilma Roussef e Tasso com Serra e seus aliados. Novamente os dois preferiram não se encontrar. O clima político entre eles continua o pior possível. Tasso tem dito que o maior erro de sua vida pública foi ter confiado na amizade do deputado Ciro Gomes. Sobre o governador Cid Gomes, não quer nem comentar. E quando fala, são frases fortes.

"Lula nomeará ministro do Supremo para adiar validade da Lei do Ficha Limpa"

O presidente Lula indicará na próxima semana o novo ministro do Supremo Tribunal Federal(STF). A revista Veja que chega neste final de semana nas bancas revela que o jurista escolhido terá que obrigatoriamente ter a opinião de adiar a validade da Lei do Ficha Limpa para 2012. O ministro cearense César Asfor continua sendo o principal cotado para a vaga aberta com a aposentadoria do ministro Eros Grau.

Se prevalecer a tese do presidente Lula de indicar um ministro contrário a Lei do Ficha Limpa valer nas eleições desse ano, mudará a composição política do Senado Federal, da Câmara Federal e de diversas assembleias legislativas nos estados. No Ceará é certo que com essa decisão, o candidato Stanley Leão, do PTC, conseguirá seu mandato. Outras mudanças ainda poderão ocorrer com chances da coligação PHS,PTB e PSL eleger um quarto deputado estadual.

Quem tem a comemorar com essa exigência de Lula para apoiar o novo ministro do Supremo são os senadores eleitos e cassados pela Lei do Ficha Limpa Jáder Barbalho(PA) e Cassio Cunha Lima(PB) além do deputado federal Paulo Maluf.

"Regional, ESCRITORES NO INTERIOR - Novo cenário para a literatura"

Franco Barbosa é gerente de literatura da Biblioteca de Juazeiro e coordena projeto de incentivo à leitura
FOTO: ELIZÂNGELA SANTOS

A instalação de novas gráficas no Cariri e o uso do ambiente virtual permitem que escritores divulguem trabalhos

Elizângela Santos
Repórter DN.

Juazeiro do Norte. O espaço da literatura no Cariri tem se ampliado, mesmo com a falta de apoio e a produção ser praticamente independente. Isso salvo alguns incentivos, na maioria das vezes, por parte da iniciativa privada. O debate para este setor também se abre, além das iniciativas de editores independentes, que vêm fortalecer mais ainda esse processo de produção editorial.

Conto, poesia, crônicas, narrativas. Versos, romance, área motivacional, educação, documentário, a revista em forma de livro. Tudo isso está inserido num amplo espaço de produção que, segundo os escritores, está bem mais fácil, e com gráficas de bom nível na região. Mesmo sendo o Cariri de antiga tradição literária, não há ainda uma academia de letras que atue de forma mais representativa neste segmento. Escritores esperam, também, o reconhecimento da universidade.

Produção

O escritor, professor e jornalista Jurandy Temóteo fez um levantamento do número de escritores na região. São mais de 100, segundo ele. Cerca de 25 livros são lançados por ano, e toda essa produção vem praticamente dos amantes da leitura e dos livros. Mas não dá prejuízo, admite o escritor e jornalista Franco Barbosa, de Juazeiro do Norte. À frente do projeto de implantação de Bibliotecas Comunitárias, as "padarias espirituais", no Município, por meio da Secretaria de Cultura, ele já lançou quatro livros, um de poesia e mais quatro na área motivacional. Explora um filão novo em relação aos estilos de publicações regionais.

O projeto que coordena será uma forma de incentivar a leitura na periferia da cidade. "É preciso incentivar e mostrar a importância do conhecimento, da leitura para as pessoas, como forma de inclusão e disseminação da cultura", ressalta. Cerca de 12 toneladas de livros vieram de Brasília, e foram selecionados por Franco Barbosa, doados pelo caririense Elmano Rodrigues, que atua na área, na capital federal.

Jurandy Temóteo considera que não há uma representatividade institucional dos literatos. É integrante do Instituto Cultural do Cariri (ICC), com sede em Crato. A revista Itaytera, editada por meio do órgão desde 1953, é uma das publicações mais antigas nesse segmento, e importante veículo de incentivo aos escritores. Há quase dez anos não tem nova edição. Já a revista "A Província", sob sua responsabilidade editorial, traz o formato de livro.

Desafios da edição:
O escritor passou a ser editor e incentivador de outros escritores da região. Ele detalha todos os passos para o caminho da publicação, que ele conhece bem. As gráficas hoje, afirma, já querem o produto pronto e acabado. Para isso, é preciso seguir o processo de criação, revisão, edição do material, e tudo deve passar por alguém experiente. Isso tudo para que seja finalizado um produto de qualidade para o leitor.

A tiragem de sua revista chega a 2.500 exemplares. O lema do trabalho é o universal pelo regional. Um veículo, conforme o editor, que vem teimosamente resistindo, contribuindo para as verdadeiras fontes da memória local.

O jornalista e escritor Lindemberg de Aquino, o escritor Oswaldo Alves e o memorialista e jornalista Huberto Cabral também são referência no Cariri quando se trata de publicações voltadas para a preservação da memória, por meio de jornais, revistas e livros, contribuindo para os registros históricos.

Oswaldo Alves de Souza, 80 anos, e João Lindemberg de Aquino, 73 anos, são autores dos livros "Roteiro Biográfico das Ruas do Crato", "Padre Ibiapina", revista "Itaytera" e cerca de dez jornais. Oswaldo, ao longo de sua vida, como editor de jornais e revistas, escreveu a história do Nordeste.

Jurandy Temóteo normalmente tem levado o seu material para ser impresso em Fortaleza. No entanto, Emerson afirma que esse mercado gráfico tem tido uma significativa melhora nos últimos anos, no Cariri. Há proprietários de gráficas que tem investido em maquinário da Alemanha, produzindo material que não deixa a desejar a nenhuma empresa do sul do País, na própria região.

MOVIMENTO INTELECTUAL:
Cariri precisa de Academia de Letras

Movimento de escritores e intelectuais busca criar um instituto, com selo editorial para incentivar novos livros

Juazeiro do Norte. A existência de uma Academia Caririense de Letras já foi realidade na década de 80. O escritor, editor e advogado Emerson Monteiro chegou a ser integrante da entidade que não seguiu caminho, mesmo com mais de 20 membros. A Academia foi fundada por Emídio Lemos.

Hoje, o escritor faz parte da Academia Lavrense de Letras. Mas destaca a necessidade de haver uma maior representatividade deste setor na região. Franco Barbosa ressalta a importância da união dos escritores do Cariri para que uma entidade representativa nesse sentido seja recriada.

Por iniciativa de escritores da região, entre eles o professor e pesquisador Daniel Walker, foi realizada há alguns meses uma reunião com escritores. A ideia é criar uma entidade, espécie de instituto, que tenha um selo editorial, além de um conselho que congregue número representativo de escritores, com a finalidade de publicar livros com um crivo de qualidade.

Incentivo:
Para Franco Barbosa, essa seria uma das alternativas que daria a condição também de incentivar novos escritores locais, que atualmente encontram dificuldades de publicar o seu trabalho. "São talentos muitas vezes desperdiçados por falta de um direcionamento", diz.

Jurandy Temóteo destaca a importância de se criar espécies de representações de academias de Pernambuco ou mesmo do Ceará na região. A partir dessas entidades, deverá nascer então uma academia de letras regional. Daí viria a identidade de um grupo para a uma realidade institucional local.

No Cariri há entidades que congregam intelectuais, como a ICC em Crato, e o Instituto Cultural do Vale Caririense (ICVC), em Juazeiro do Norte. A Academia dos Cordelistas do Crato reúne os poetas populares. O escritor Emerson Monteiro destaca a iniciativa para o fortalecimento do setor, mas vem fazendo o seu trabalho, como editor independente, e está atuando já na publicação de vários livros de escritores regionais. O selo da Biblioteca Nacional vem sendo formalizado para inserção continuada nos livros que edita e nas suas produções literárias.

Normalmente as edições regionais atingem uma tiragem de até dois mil exemplares. A maior parte é de 500 ou mil exemplares. Para Emerson, um livro com a vendagem de 500 exemplares na região pode ser considerado um "best seller" na realidade local. Escritores com mais constância nas publicações como Raimundo Araújo, o próprio Daniel Walker, Emerson Monteiro, José Flávio, normalmente atingem essas marcas, entre tantos outros.

O destaque da região na produção livreira vem de uma história rica. Tem a produção científica, além das publicações na área da religiosidade popular, centrada na figura mítica do Padre Cícero. Também há as obras de cultura popular, poesias, romances, história social, libertária e esporte.

São temas diversificados, que envolvem todo um cabedal de conhecimentos, onde o mais importante, de acordo com Emerson Monteiro, é que não fiquem sem registro. Ele idealiza que um dia toda essa produção seja reconhecida pela academia e haja inclusão nos concursos. "Afinal, é a história regional que está sendo registrada ao longo do tempo, com o importante resgate da memória, além de literatura nos seus mais diversificados gêneros", enfatiza.

Este ano, a pretensão é que fossem lançados e relançados em Juazeiro do Norte cerca de 100 livros, dentro da comemoração do Centenário da cidade. Pode não chegar a tanto, mas é um movimento que se gera em torno de um mercado que tem se mantido ao longo de décadas em todo o Cariri.

"NA ALDEOTA - Casarões resistem à especulação imobiliária"

Rua José Vilar: uma residência, em meio a inúmeros prédios, preserva traços originais de sua arquitetura
FOTO: ALEX COSTA

As propostas das construtoras são inúmeras e bastante tentadoras, algumas com ofertas milionárias

"Da força da grana que ergue e destrói coisas belas". A frase composta pelo cantor baiano Caetano Veloso, na música Sampa, resume bem uma realidade que vive Fortaleza, onde grande parte dos casarões antigos, que contam um importante pedaço da história da Capital, desaparece a cada dia para se transformarem em arranha-céus. Algumas dessas raridades, no entanto, resistem bravamente à especulação imobiliária e às tentadoras propostas das construtoras, algumas com ofertas que envolvem milhões de reais.

Num giro pela Aldeota, não raro nos deparamos com essa realidade. A exemplo da Rua José Vilar, onde os casarões que restaram se tornaram pequenos diante dos enormes e luxuosos prédios, repletos de apartamentos, que, apesar de numerosos, ironicamente mantém uma relação fria e superficial entre os moradores. "Aqui era tudo casa", disse o advogado Janos Roven, 42, apontando para um enorme prédio em frente a sua residência, na José Vilar.

O morador, que nasceu e se criou no local, relata que a casa foi construída ainda na década de 1950. Desapontado, ele revela que, hoje, o que mais o choca é a descaracterização que houve em sua vida. "Antigamente a gente vinha para a calçada, brincava com os amigos, jogava bola, hoje não. Estou rodeado de prédios, mas a gente não tem contato com ninguém", relatou o homem, reclamando que falta calor humano entre os novos vizinhos. "A calçada da sua casa é sua. A do apartamento é de todos", critica Roven, que mantem a residência toda original.

O muro baixo não tem cerca elétrica; o portão, portas e janelas da casa, assim como todos os compartimentos, bastante espaçosos, conservam traços originais de sua arquitetura. Assim, o advogado, juntamente com os pais, já idosos, levam a vida no local. As propostas das construtoras existem e são bem constantes. Contudo, nenhuma foi satisfatória. "Já ofereceram muita coisa, mas não pagam em dinheiro, por isso a gente não fez negócio", disse o homem, avaliando que o terreno, que possui 1.900 m², somando as três casas da família, vale R$ 5 milhões. "Esse terreno se valoriza mais rápido do que esses apartamentos novos daqui", garantiu.

Congestionamento:
No cruzamento das ruas Torres Câmara e José Vilar, a casa do senhor Raimundo Ernani Oliveira, 78, e da senhora Adalgisa Aragão, 70, está completamente ilhada pela construção de dois edifícios. Ele conta que já tentaram comprar sua casa de todas as formas. "Teve um corretor que chegou às 15h e só saiu às 19h. Mas, a única proposta formal que fizeram foi uma, indecente, de comprar o terreno pelo metro quadrado, como se não tivesse nenhuma construção", contou indignado.

Seu Ernani relatou que, se a construtora tivesse comprado sua casa, seriam construídos no local três espigões, com 132 unidades, 44 em cada. "Todas as casas que havia ao redor foram destruídas. O reflexo disso vai ser quando o complexo que eles estão construindo estiver pronto, pois o número de carros vai aumentar muito", alertou.

O morador acrescentou, ainda, que as casas que foram compradas tinham cinco veículos. Contudo, com as novas unidades, serão quase 400. O que gera outro problema, pois a tendência é que o trânsito, que já está complicado, piore ainda mais. O culpado de tudo isso, denuncia Ernani, é o poder público, por aprovar a construções de prédios com até 22 andares.

Outro que resiste veementemente à pressão do mercado é o bancário aposentado Francisco de Assis Mapurunga, 82, que reside na Rua Leonardo Mota. Bastante determinado, ele diz que só mesmo à força iria morar num apartamento. "É deixar de morar na nossa casa para ir morar na casa dos outros", justificou. Não raro aparece alguém interessado em comprar sua casa, entretanto, de prontidão responde: "mas eu não coloquei a casa à venda".

Mercado:
O mercado imobiliário de Fortaleza está em pleno momento de ascensão. Para se ter uma ideia, somente no primeiro semestre de 2010 houve um faturamento de R$ 1 bilhão e 700 milhões com relação à venda de imóveis, número bastante superior ao mesmo período do ano passado, quando o faturamento foi de R$ 700 milhões. Até outubro deste ano foram construídos em Fortaleza e Região Metropolitana 35 prédios, o que representa aumento de 44% no número de unidades vendidas, em relação ao ano passado.

O presidente do Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Locação de Imóveis do Ceará (Secovi), Sérgio Porto, atribuiu esse "boom" às facilidades. "O financiamento aumentou e a taxa de juros caiu, o que fez com que o valor das parcelas diminuísse", disse. Além disso, o tempo do financiamento também cresceu. Há cinco anos, ele era de 10 anos, hoje, chega a até 30.

Houve mudança também no perfil dos imóveis. O mercado atual demanda apartamentos de menor porte, conforme a situação dos novos adquirentes, principalmente a classe C.

BENS HISTÓRICOS:
Fortaleza: uma cidade sem memória

A demolição de casarões antigos representa a perda da memória da Cidade. A arquiteta e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Beatriz Helena Nogueira Diógenes, esclareceu que essas habitações são, ou eram, testemunhas de uma época da nossa Cidade. "São exemplares da arquitetura das primeiras décadas, alguns chalés, casas com linhas kitsch e outras concebidas segundo os princípios da arquitetura moderna, quase todas implantadas em amplos lotes arborizados, que desaparecem na dinâmica urbana atual, sendo substituídas por edifícios altos, seguindo a especulação imobiliária", afirmou.

O arquiteto José Capelo Filho disse que o problema fundamental é a falta de leis neste sentido. "Ou você tem uma legislação para manter o bairro ou acontece o que aconteceu na Santos Dumont, que se transformou num corredor comercial". Ele alerta que isso cada vez vai descaracterizando a imagem, o simbolismo do local. "Nos últimos anos, o Meireles mudou de feição, e quem perde é a população, porque a imagem da cidade vai sendo destruída", afirmou.

Nas últimas décadas, Fortaleza cresceu violentamente. Em 1930 eram 250 mil habitantes, hoje, são mais de 2 milhões. Durante esses 70 anos, ressalta Capelo, existiram vários planos diretores, mas nenhum foi seguido, nem o atual. Na concepção do arquiteto, esse é um problema que não tem mais volta.

O historiador Erick Assis de Araújo acredita que a convivência entre o antigo e o novo é plenamente viável. Contudo, ressaltou que Fortaleza tem que fortalecer as instâncias reguladoras, pois o capital pouco se importa se a Cidade está se descaracterizando. "Se o empreendimento tem lucro ou não, a meta é avançar, custe o que custar, pois o retorno financeiro será maior", lamentou.

Para Erick, isso cria uma atmosfera do vale tudo no espaço urbano. "Empurram a cidade para uma arena de briga a céu aberto, o que é uma barbárie urbana. A cidade precisa reagir, tangenciar e driblar a lógica perversa do mercado imobiliário e, se possível, resistir de forma mais contundente, impedindo a devastação do pouco que nos resta de sociabilidade na cidade", declarou.

LUANA LIMA
REPÓRTER DN.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"CHARGE NO BLOG DO POETA -SINFRÔNIO"

"POSIÇÃO POLÍTICA - Papa: bispos devem orientar"

O pontífice ainda condenou o aborto e defendeu a educação religiosa, bem como a presença de símbolos religiosos
REUTERS

Petista afirmou que a manifestação do papa não causou constrangimento
REUTERS

Para candidato do PSDB, "é bom" o mundo ouvir a defesa da vida feita por um guia espiritual
REUTERS

Em reunião com bispos nordestinos, Bento XVI pediu que os religiosos apoiem políticos ´a favor da vida´

Roma. O papa Bento XVI condenou, ontem, em reunião em Roma, o aborto e clamou para que um grupo de bispos brasileiros orientem politicamente fiéis católicos, sem mencionar diretamente as eleições que acontecem no próximo domingo.

O líder católico recebeu no Vaticano bispos do Nordeste do Brasil, o maior país católico do mundo, para a tradicional visita Ad Limina (que fazem regularmente para prestar contas de suas dioceses). "Os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas", declarou o pontífice, que condenou projetos políticos que defendam aberta ou veladamente a descriminaliza-ção do aborto. Para ele, a democracia só existe quando "reconhece e tutela a dignidade de toda pessoa".

"Na defesa da vida, não devemos temer a oposição e a impopularidade, rejeitando qualquer compromisso e ambiguidade que se ajustariam à mentalidade do mundo", acrescentou o pontífice.

Bento XVI fez um "vivo apelo a favor da educação religiosa" nas escolas públicas e pediu ainda pela presença de símbolos religiosos em locais públicos. O Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, foi citado como um exemplo de monumento que contribuiu para o "enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade".

"Os símbolos religiosos têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a Baía da Guanabara?", lembrou o papa.

O aborto ganhou espaço na mídia e na boca dos candidatos a presidente Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) no fim do primeiro turno, impulsionados pela movimentação de igrejas evangélicas e segmentos católicos que pregavam voto anti-Dilma e pró-vida, pois a petista já defendeu a prática.

Após a polêmica, Dilma se comprometeu a distribuir uma carta em templos e igrejas, repetindo declarações feitas ao longo da campanha, como ser "pessoalmente contra o aborto", não encaminhar nenhuma legislação referente ao tema ao Congresso e defender a "manutenção da legislação atual sobre o assunto", que só permite a prática em casos de estupro e risco de morte para a mãe.

Os bispos recomendaram o voto em candidatos comprometidos com o respeito incondicional da vida. O mais veemente, o bispo de Guarulhos, D. Luiz Gonzaga Bergonzini, divulgou um manifesto contra Dilma, que foi chamada pelo religioso de "candidata da morte".

PEDIDO DA IGREJA
Dilma não se sente afetada; Serra apoia

São Paulo. A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou não acreditar que a recomendação do papa Bento XVI prejudique sua campanha.

A petista não vê nenhum constrangimento na declaração do pontífice e disse que a manifestação da Igreja deve ser respeitada. "Eu acho que é a posição do papa e tem que ser respeitada. Encaro que ele tem o direito de manifestar o que ele pensa. É a crença dele e ele está recomendando uma orientação", afirmou.

Alvo de uma campanha no primeiro turno em igrejas e templos religiosos de que defenderia o aborto, Dilma negou que exista relação entre esses rumores contra ela e o pedido do papa. "Vamos separar as questões. Eu não acho que o papa tem nada a ver com isso. No Brasil, ocorreu outra coisa: uma campanha que não veio à luz do dia, quem fez a campanha não se identificou, não mostrou sua cara. Foi uma campanha de difamações, calúnias e algumas feitas ao arrepio da lei porque a lei proíbe que isso ocorra", disse.

Antes de ser candidata, Dilma defendia abertamente a descriminalização da prática - o fez, por exemplo, em sabatina da "Folha de S.Paulo" em 2007 e em entrevista em 2009 à revista "Marie Claire". Ao longo da campanha, disse que era contra a proposta. Para o secretário de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR), a manifestação do papa não deve atrapalhar Dilma. "Esse assunto não tem mais sentido", disse.

Tucano:
O presidenciável do PSDB, José Serra, afirmou, ontem, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que "é bom" o mundo ouvir a defesa da vida feita por intermédio do papa, "um guia espiritual muito importante".

"O fato é que o líder espiritual mundial da Igreja Católica tem pleno direito de emitir as suas diretrizes e orientações para os católicos do mundo. Tem plena liberdade de fazê-lo, é um guia espiritual muito importante", declarou o candidato.

"E a defesa da vida é o que merece fazer parte das palavras do papa, além do que é previsível, além do que é bom para o mundo ouvir isso, a defesa da vida", acrescentou.

"AGORA, EM IBICUITINGA - Bando desafia a Polícia e ataca BB"

Cena do crime: o que restou do caixa eletrônico ficou jogado na porta da agência bancária. Polícia caça os ladrões
FOTO: ALEX PIMENTEL

Policiais militares ficaram sob a mira das armas do bando e foram obrigados a participar do roubo dos caixas

Ibicuitinga. Menos de 24 horas após o roubo na agência do Banco do Brasil em Banabuiú (a 214Km de Fortaleza) a mesma quadrilha voltou a atacar, também pela terceira vez, a unidade de atendimento do BB em Ibicuitinga (a 189Km da Capital). Dessa vez, os criminosos conseguiram levar o caixa eletrônico do terminal de autoatendimento, instalado na frente da sede da Secretaria de Saúde do Município. O caixa foi levado em uma caminhonete Frontier de cor cinza. Uma L-200 de cor preta dava ´cobertura´.

O bando chegou à cidade por volta de 1h30. Desta vez, os ladrões não tiveram muito trabalho. Após serem surpreendidos e rendidos, três policiais militares e três agentes do programa de segurança pública ´Pró-Cidadania´ foram obrigados a arrancar a grade de proteção do terminal eletrônico e, em seguira, a arrastar o caixa eletrônico e colocá-lo na carroceria da Frontier. Sob a mira de armas de grosso calibre, os policiais e os agentes não puderam esboçar qualquer reação.

As viaturas da PM e do Pró-Cidadania estavam estacionadas defronte ao Polo de Lazer da cidade. Segundo os militares, eles realizavam juntos uma campana para combater o tráfico de drogas. Enquanto faziam a vigilância no local, foram surpreendidos e desarmados. Os bandidos furaram os pneus das viaturas oficiais a faca.

Em seguida, arrancaram o microfone do radiocomunicador da viatura da PM. Eram pelo menos 12 homens na quadrilha, conforme os agentes.

O primeiro ataque à cidade ocorreu no dia 7 de julho e o penúltimo na madrugada de 28 de agosto. Nas vezes anteriores, a quadrilha não conseguiu levar nada, mas causou pânico à população, além de danos no terminal do Banco do Brasil e no posto de atendimento do Bradesco. Dessa vez, obteve êxito. Além do caixa, os ladrões roubaram três pistolas e um fuzil da Polícia Militar. A quadrilha seguiu em fuga pela CE-265, com destino a Morada Nova.

Assaltos:
Em três anos, já são 48 assaltos a bancos no Ceará. Foram dez ataques ao longo de 2008, outros 16 em 2009 e, este ano, já são 22. Em 2010, todos os assaltos ocorreram no Interior do Estado. Apenas uma quadrilha foi desarticulada.

A Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) segue sem pistas dos criminosos que estão agindo no sertão. A PM mantém o cerco na região do Sertão Central, mas ninguém ainda foi preso.

Virou rotina:
22 bancos foram assaltados no Ceará somente neste ano. Em 2008, foram dez casos e em 2009, 16. Bandos aproveitam-se do baixo efetivo policial no Interior e do pouco armamento

"AUTOMÓVEL - Só para milionário$"

O aerofólio duplo serve para diminuir a turbulência causada pelos ventos. Por causa da sua aerodinâmica, o acessório também faz com que o Trevita alcance velocidades muito altas
DIVULGAÇÃO

Retrovisor inteligente: o espelho escurece sozinho quando a luz do farol que vem atrás o atinge. Atrás do espelho há um pigmento fotossensível que reage com a presença de luz
DIVULGAÇÃO

Obra à parte: as três lanternas traseiras são também peças de arte. Com formato original e bem rebuscado, elas chamam atenção por seus detalhes, principalmente no período noturno
DIVULGAÇÃO

As rodas vêm com pintura em dois tons e a suspensão pode ser ajustada a bordo com ajuste de altura
DIVULGAÇÃO

Koenigsegg CCXR
DIVULGAÇÃO
27/10/2010


O carro que mostramos aqui dificilmente você viu nas ruas. Também pudera, só são fabricados três unidades dele ao ano no planeta. Você é capaz de antecipar o nome?

Quem alardeou foi a Forbes, revista norte-americana conhecida por suas listas top 10 de diversos segmentos, que apresentou o ranking dos veículos mais caros à venda. Entre os cobiçados, uma surpresa: o mais caro da relação é o sueco Koenigsegg CCXR, com preço tabelado em US$ 2,173 milhões.

Bugatti, Jaguar, Lamborghini e a tão conhecida Ferrari ficaram para trás diante da montadora sueca Koenigsegg (difícil de pronunciar, né?). Isso prova que nem todos os supercarros vêm da Itália ou da Alemanha. A empresa escandinava torna-se uma opção para um clube já bastante privado.

Coincidência ou não, aproveitando o "boom" da economia brasileira que se firma cada vez mais no cenário mundial, a montadora dos supercarrões está no Salão do Automóvel, em São Paulo, nesta edição, cujo evento este Suplemento participa.

As razões para ele custar tanto está em alguns fatores e um deles é a exclusividade. Outro motivo é por ser um dos automóveis mais rápidos já produzidos: com 1.018 cavalos, leva o condutor fácil, fácil aos 417km/h! Só por curiosidade, o automóvel faz de 0 a 100km/h em menos de três segundos.

Refletindo preciosidade:
Entretanto, não é só o desempenho que o faz ter o valor tão elástico. A versão limitada do CCXR, batizado de Trevita, traz características que o torna valorizado, como a pintura que contém pedacinhos de diamantes brancos fundidos na carroceria - feita em fibra de carbono. Isto faz com que o carro quando está sob a luz do dia, reflita os milhares de pedaços da preciosa pedra.

Para somar, o CCXR Trevita traz outros itens que o encarece mais, como as novas rodas com pintura em dois tons, aerofólio traseiro duplo em fibra de carbono, freios com disco de cerâmica e ABS, sistema de informação por satélite, novos mostradores no painel, sistema de monitoramento dos pneus, suspensão com ajuste de altura, e airbag duplo!

Na lista de dez, o Bugatti Veyron aparece em segundo com US$ 2,027 milhões. Em 3° está o Pagani Zonda Roadster Cinque com US$ 1,8 mi. Quarto e quinto há duas Lamborguinis. Em sétimo e oitavo existem mais dois da Koenigsegg, o CCXR (US$1,3 mi) e CCX (US$ 1,1 mil). No último está a SSC Ultimate Aero que custa US$ 740 mil.

Se formos basear pela mesma Forbes que diz que o Brasil tem 18 bilionários - Eike Batista é o oitavo mais rico do mundo - e centena de milionários, para eles, adquirir um desses é como comprar uma roupa na esquina.

Ficha técnica
Motor: 4.8 (V8)
Potência: 1.018 cv
Transmissão: Automática com 6 velocidades + ré
Consumo médio : 4,5 km/litro
Tanque: 70 litros
0 a 100 km/h: 2,9 segundos
Aros: 19"(dianteira) e 20"(traseira)
Garantia: 5 anos
Preço: US$: 2,173 milhões

JOTA POMPÍLIO
REPÓRTER DN.

LÁ VAI O BESTA: Quem foi que disse que é pecado sonhar?

"Cinco deputados estaduais do PSDB apoiam candidatura de Dilma Roussef no Ceará"

Osmar Baquit e Júlio César participam de campanha petista ao lado de Cid Gomes.
Por: Luciano Augusto

A menos de quatro dias do eleições de 31 de outubro, parlamentares do PSDB-CE insistem em contrariar orientações do partido e aderir à campanha da candidata petista Dilma Roussef, à Presidência da República.

Em reunião realizada no hotel Marina Park, em Fortaleza, o vice-governador eleito Domingos Filho (PMDB), revelou que cinco deputados estaduais do PSDB, aderiram à campanha petista.

LÁ VAI O BESTA: Nunca fui com a cara do PSDB, mais se fosse o Senador Tasso, Manda chuva do partido no Ceará, expulsaria estes traidores que só sabem viver pendurados nas tetas do poder.  

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

"CHARGE NO BLOG DO POETA -SINFRÔNIO"

"FORCA - Chanceler de Saddam é condenado à morte"

Único cristão entre os colaboradores de Saddam, Tareq Aziz, 74 anos, tem 30 dias para recorrer da sentença.
FOTO: REUTERS

Tareq Aziz, braço direito do ex-ditador do Iraque, é acusado de tentar eliminar partidos políticos religiosos.

Bagdá. O ex-chanceler e braço direito do ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, Tareq Aziz, 74 anos, foi condenado à morte ontem. Aziz deverá ser enforcado. Ele tem 30 dias para apelar da sentença.

"A Corte Suprema Criminal emitiu uma ordem de execução contra Tareq Aziz por seu papel na eliminação de partidos religiosos", afirmou a televisão estatal. Segundo a emissora iraquiana, a corte também emitiu penas de morte contra dois outros altos funcionários de Saddam, o ex-ministro de Interior Saadoun Shaker e Abid Hamoud, que foi secretário do ex-ditador.

O trio foi sentenciado por seu papel na perseguição aos xiitas, que se seguiu à tentativa de assassinato em 1982 sofrida por Saddam em Dujail, uma cidade de maioria xiita ao norte de Bagdá, disse o porta-voz da corte Mohammed Abdul Saheb.

Houve outra grande ação contra os xiitas, maioria no Iraque, após uma insurgência contra Saddam ocorrida em 1991. Pela lei, as sentenças de morte devem ser confirmadas pelo conselho presidencial para serem executadas. Em 2009, Aziz já havia sido condenado a 15 anos de prisão, pela execução em 1992 de 42 pessoas em Bagdá, e recebeu outra pena de sete anos em outro caso, por expulsar curdos do norte do país. Ele sempre afirmou ser inocente.

O advogado de Aziz, Badee Izzat Aref, baseado na Jordânia, acusou o governo iraquiano atual de orquestrar o veredicto para desviar a atenção das recentes revelações feitas pelo website WikiLeaks, o qual postou documentos norte-americanos que mostram crimes e abusos contra presos iraquianos feitos pelas forças de segurança do Iraque.

O Vaticano fez um apelo ao governo do Iraque a não executar a sentença de morte contra Aziz, o único cristão entre os colaboradores próximos de Saddam. O porta-voz do Vaticano, reverendo Federico Lombardi, afirmou que comutar a sentença é algo que irá encorajar a reconciliação e a reconstrução da paz e justiça no Iraque. Segundo ele, o Vaticano defende intervenções humanitárias através dos canais diplomáticos para suspender execuções.

Fique por dentro
Trajetória

Tarek Aziz rapidamente ascendeu no governo iraquiano, graças ao seu domínio de inglês. Amigo do ditador iraquiano, foi ministro da Informação, e depois vice-primeiro-ministro de 1979 a 2003, tendo como função complementar a de ministro das Relações Exteriores, de 1983 a 1991. Ele se rendeu às tropas dos EUA em abril de 2003. Muito debilitado devido à prisão, segundo sua família, foi vítima na metade de janeiro de um ataque cardíaco e transferido em "estado grave" para um hospital em uma base americana.

"EM MINAS GERAIS - Bruno afirma que Eliza está viva"

Belo Horizonte. O ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes afirmou, ontem, que Eliza Samudio está viva e morando em São Paulo. A declaração foi dada na saída da audiência com testemunhas do processo em que o atleta é acusado de mandar matar a modelo, no Fórum de Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte.

"A Eliza está viva em São Paulo. Está acabando com a minha vida e eu estou sofrendo muito por isso", afirmou Bruno, que está preso desde julho por causa do episódio.

O ex-jogador garantiu que não mataria Eliza por ter sido pressionado a assumir a paternidade do filho que ela dizia ser dele. O goleiro afirmou também que está disposto a cuidar da criança, se a Justiça confirmar que ele é o pai.

Ele ainda disse ter confiança em sua absolvição e que tem expectativas de voltar a exercer a profissão. "Acredito ainda que eu vou voltar a jogar futebol", afirmou. Nos últimos meses, Bruno se recusou a prestar depoimento à Polícia, com a promessa de falar apenas em juízo.

A juíza que conduziu a audiência, Maria José Starling, defendeu que Bruno seja libertado. Ela argumentou que há muitas contradições nos depoimentos. "Está um vaivém nos depoimentos da acusação que a gente não sabe", afirmou. A magistrada, no entanto, não é responsável pelo caso e foi apenas substituta. A responsável pelo processo é a juíza Marixa Rodrigues.

"LUTO NA POLÍTICA - Romeu Tuma morre aos 79 anos em SP"

Senador por dois mandatos pelo Estado de São Paulo, neste ano, doente, ficou em quinto lugar.
FOTO: WALDEMIR RODRIGUES /AGENCIA SENADO.

O petebista começou sua carreira política em 1994, quando foi eleito senador, mas se projetou como delegado.

São Paulo - O senador Romeu Tuma, 79, morreu às 11h de ontem no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 2 de setembro. Ele passou por uma cirurgia cardíaca no dia 2 de outubro, quando foi colocado um dispositivo de assistência ventricular chamado Berlin Heart -o aparelho é um coração artificial. O corpo será velado na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Romeu Tuma começou sua carreira política em 1994, quando foi eleito senador, mas se projetou nacionalmente como policial. Casado com Zilda Dirane, Tuma teve quatro filhos e nove netos. Nascido na capital paulista em 4 de outubro de 1931, Tuma ingressou na Polícia Civil do Estado em 1951, na função de investigador. Nos anos 60, concluiu o curso de Direito na PUC e se tornou delegado em 1967.

Atuou no Serviço de Inteligência do Dops (Departamento Estadual de Ordem Política e Social), órgão que passou a dirigir em 1975. Atuou no combate às organizações de esquerda e na repressão aos movimentos grevistas. Também colaborava com o SNI (Serviço Nacional de Informações). Em 1980, quando Lula ficou preso no Dops após intervenção federal no sindicato, o atual presidente declarou que foi bem tratado. Em junho de 1985, ficou conhecido pela identificação da ossada do criminoso de guerra nazista Josef Mengele.

Em janeiro de 1986, já no governo Sarney, foi nomeado diretor-geral da PF, quando atuou no combate às remarcações de preços durante o Plano Cruzado. Em dezembro de 1989, às vésperas do segundo turno da eleição presidencial, a Polícia resgatou o empresário Abílio Diniz, das mãos de sequestradores chilenos. Após a libertação do empresário, os sequestradores foram apresentados à imprensa vestindo camisetas do PT. Lula perdeu a eleição para Fernando Collor (PRN).

Em 1994 foi eleito para Senado pelo PL. Em 2000, disputou a Prefeitura de São Paulo, mas ficou em quarto lugar. Dois anos depois, se reelegeu, em segundo, à frente de Orestes Quércia (PMDB). Neste ano, disputou novamente ao Senado ficando em quinto lugar.

"SANTANA X ZÉ DE AMÉLIA: CONFLITO EXPÕE MAZELAS DA POLÍTICA DE JUAZEIRO"

A troca de agressões verbais, as denúncias e insinuações sobre corrupção na Prefeitura e na Câmara de Vereadores mostram, nos últimos 30 dias, um piores momentos da vida política de Juazeiro do Norte. As expressões usadas pelo prefeito Manoel Santana (PT) e pelo presidente da Câmara Municipal, José de Amélia Júnior (PSL), expõem divergências políticas e descambam para o linguajar chulo, pobre e agressivo contra a população da maior cidade do Interior do Ceará.
As denúncias e acusações sobre má aplicação do dinheiro público causam arrepios, retratam um verdadeiro lamaçal protagonizados por homens públicos que deveriam zelar pelos cargos que ocupam e exigem dos eleitores – cidadãos e cidadãs, reflexão sobre uma página tão negativa para a história do município que caminha para, em 2011, comemorar o seu primeiro centenário.
A falta de respeito dos atores das mais recentes tristes cenas da política juazeirense se refletem não apenas nas suspeitas e desmandos com o dinheiro do contribuinte, mas, também, com a linguagem imprópria, inapropriada usada em entrevistas e declarações públicas. O prefeito Manoel Santana – alvo de uma Comissão Processante de Investigação, e o presidente da Câmara de Vereadores, José de Amélia Júnior, contribuem, neste momento, para escrever uma das mais tristes páginas da história política de Juazeiro.
O Jornal do Cariri, nesta edição, traduz, com palavras dos próprios atores dos dissabores do cenário político atual, a queda de braço e a guerra travada entre Santana e José de Amélia. O JC, comprometido em sua linha de transparência, compromisso com o leitor e com o respeito a população de Juazeiro do Norte, expõe os dois lados dessa briga que não tem data para acabar, mas tem um caminho que pode encurtar a exposição que a terra de Padre Cícero sofre hoje no Ceará e no Brasil.
As denúncias de irregularidades, superfaturamento de obras e serviços, contratação com valores elevados de escritórios jurídico e de contabilidade, assim como possíveis excessos na aplicação do dinheiro da Verba de Desempenho Parlamentar (VDP) – benefício exclusivo dos vereadores, já são alvo de investigações dos Tribunais de Contas da União (TCU) e dos Municípios (TCM), Ministérios Públicos Federal e Estadual, Justiça Federal e Justiça Estadual. Abaixo, você acompanha as feridas expostas por Santana e Zé de Amélia na queda de braço que envolve denúncias de corrupção e má aplicação do dinheiro público.

Entrevista Mirelly Morais:
Santana- Coloquei no meu twitter que ele (Zé de Amélia) era um marginal da política porque fiquei muito chateado. Tenho trabalhado a construção de um diálogo entre Executivo e Legislativo e a informação que tenho dos outros vereadores é que tudo que recebo são denúncias e ataques, extrapolando o direito do Legislativo de fiscalizar. Agi dessa forma porque cansei de ser acusado, caluniado, difamado. Fiquei chateado porque o Zé de Amélia assina as denúncias contra mim e, depois, diz que não tem nada com isso, apenas assina como presidente. Então eu sinto muito, mas chegou o momento de me defender. Pois tenho a consciência tranqüila, e estou vendo minha imagem e minha honra sendo denegrida no cotidiano do que se faz em Juazeiro. Então vou provar em todas as instâncias que as acusações contra mim são falsas.
Zé de Amélia- Essas são questões que se colocam soltas, até porque o ônus da prova cabe a quem acusa. Primeiro que eu não devo a agiota, até porque isso é crime federal. E o que eu faço com o meu salário que recebo é um foro privado meu. Isso são questionamentos, calúnias, injúrias, difamações, que só me engrandecem e me fortalecem, porque a partir do momento que você é atacado é porque está incomodando alguém ou alguma coisa. O órgão público funciona primeiro por licitações, o segundo passo são os contratos feitos e para comprovar tudo isso, há a execução do serviço. Todos os serviços da Câmara Municipal que foram licitados e contratados, que já passaram e que ainda funcionam hoje, estão em execução. São serviços que foram executados. A questão de que não se usou os carros é uma acusação infundada, vazia, até porque quando a Câmara contratou no final de setembro e nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2009, existia os veículos. Era um serviço que nós tínhamos e de forma nenhuma deixou de se existir, até porque é crime e nós não acostumamos aqui no exercício do poder público, principalmente como presidente, deixar de cumprir o que manda a Lei. A licitação existiu, o contrato existiu, a execução do serviço existiu, então, são apenas levantamentos falsos e calúnias.
Denúncias
Santana- As denúncias feitas pelos vereadores pesam contra os meus Secretários e querem atribuir a mim. Ao contrário das que fiz, que pesam diretamente contra a figura do presidente, que é ele quem ordena as despesas. Quando conversei com ele disse: você fez 42 denúncias contra mim no Tribunal de Contas. Ele diz que só faz assinar, é o bonzinho, o mal é o Tarso Magno. Tem cinco denuncias na Procuradoria Federal, conseguimos resolver três. Denúncias descabidas, muitas delas somente para desgastar. E quando perguntei o que faria no meu lugar, ele disse que se defenderia e usou a expressão “balas trocadas não doem”.
Zé de Amélia- Qualquer cidadão pode entrar com denúncias contra o presidente, contra o vereador, prefeito ou secretário, então como ocupo cargo público e já sou presidente pela segunda vez, isso é salutar, até porque o Ministério Público é um órgão fiscalizador. Estamos aqui de portas abertas para responder qualquer que seja o questionamento.Ele atingiu tanto a moral, quanto a credibilidade da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, quando acusa de desvios, contratos falsificados e pagamento de serviços que não existiram. Tudo isso a gente rebate, porque a precisamos sim, que tenha tranqüilidade de se trabalhar aqui no Legislativo. A questão já está no Ministério Público, um homem que ocupa cargo público é passível de qualquer que seja a investigação e a gente não tem nada a esconder na Câmara, até porque toda documentação que foi solicitado pelo Ministério Estadual e pelo Tribunal de Contas dos Municípios já foram encaminhada. A Câmara trabalha com transparência e lisura.

Impeachment forjado:
Santana- O meu impeachment seria parte de uma ação orquestrada por ele, com um único objetivo que seria chegar a Prefeitura, através de um golpe político contra a minha pessoa. O que os vereadores (sem citar nomes) dizem é que a idéia não é tirar o Santana e deixar o vice assumir. Mas tudo seria uma ação metodicamente planejada com o objetivo de tirar o prefeito e o vice, e o Zé de Amélia assumir a Prefeitura de Juazeiro no ano do centenário. Alguns vereadores me disseram que o presidente os chamou, um a um, para retaliar a mim e afirmam ter ouvido dele que ou eles me cassam ou eu os cassaria. O que se faz aqui não é o combate a irregularidades, é uma ação maliciosa, com cunho político e movida por interesses pessoais. Você querer criar uma situação agora para chegar ao poder, através de um golpe político, é uma coisa que a sociedade de Juazeiro não vai aceitar em hipótese alguma. O cara que quer ser prefeito da cidade, vamos lá adiante disputar eleição.
Zé de Amélia- Agora, não cabe ao presidente da Câmara e nem aos vereadores de Juazeiro querer tirar ou não o prefeito de Juazeiro.
O poder Legislativo
Santana- Na Câmara se brinca de fazer CPI, Comissão Processante, se quer afrontar a vontade do povo, que veio das urnas. É um abuso que fortalece a concepção de golpe político. O papel do vereador é fiscalizar, além do Executivo o próprio Legislativo.
Zé de Amélia- O legislativo tem o poder de legislar, de fiscalizar e mostrar onde estão os problemas. Agora, o sufrágio do voto do povo é o mais importante para o estado democrático de direito, então o povo julgue. O povo tem poder, tirou até um presidente da República, então, quando o povo quer, ele vai à rua, discute, pede e cobra.
Manobras Políticas
Santana- O presidente da Câmara tem manipulado os vereadores em proveito de um projeto pessoal dele. Ele articula os vereadores. O Tarso Magno é usado por ele para o ataque frontal a mim, usando o ódio pessoal que o Tarso tem. Com habilidade, manipula esse ódio para se favorecer. A manipulação é de tal forma que com a maioria dos vereadores, eu não tive contato para me explicar, pois antes das duas votações, tanto a da mesa diretora, quanto a da cassação, eles ficaram confinados em lugar ignorado. No começo cheguei a achar que existia alguém por trás, mas agora acho que ele age por ele mesmo. O Zé de Amélia é uma pessoa muito inteligente, habilidosa, tanto é que foi eleito presidente da Câmara para um terceiro mandato, inclusive, a última com antecipação de seis meses e quase unanimidade dos votos. Isso é inédito na história de Juazeiro. Com essa capacidade de envolver as pessoas, ele é um líder nato. Porém, a inteligência de um líder pode ser usada para o bem ou para o mal. Os próprios vereadores dizem que ele articula para realização ou não das sessões, quando quer, ou não, que haja quórum. Ele consegue influenciar pessoas de bem que se deixam levar pela malícia.
Zé de Amélia- O convívio que eu tenho com os vereadores é o respeito. Eu os respeito e eles me respeitam. Essa é outra acusação bastante vazia. O prefeito foi eleito com uma maioria esmagadora na eleição de 2008, tendo quase 70 mil votos, então não é culpa minha e nem de qualquer membro da Câmara Municipal, se a gestão não funciona, se a gestão tem problemas. Isso é uma questão de gestão, e nós não estamos acostumados a dar golpes em ninguém. Isso é uma questão de democracia, jamais foi pensado nisso, jamais foi armado isso, jamais foi articulado qualquer que seja a pretensão de tirar prefeito, vice ou vereador para colocar um terceiro. Agora, se existe processo na Câmara, se ele tramitou e chegou na fase final, não cabe a mim, de forma nenhuma, dizer e armar para tirar prefeito. Eu acredito que quem deve julgar o político não é o Legislativo.
Conflito de Poderes
Santana- Vou atrás dele para conversar e mostrar que esse tipo de conflito vai trazer prejuízos à população, a ele e a mim. Destrói o meu projeto político, destrói o projeto político dele. Vou conversar porque acredito numa consistência pacífica. Posso não concordar com nada do que ele diz e nada do que faz, mas tento manter a independência dos poderes.
Zé de Amélia- Nós só conversamos nas instituições, ou na Câmara ou na Prefeitura.
Base aliada
Santana- Já perguntei a alguns vereadores porque estão se afastando e eles afirmam que o presidente os chamou e disse que a denúncia que eu fiz foi contra todos os vereadores e que prejudicará a todos. E com isso, ele conseguiu despertar um ódio em grande parte deles. E ele próprio é rancoroso.
Traição
Santana- Não apresentei defensa na Comissão Especial Processante porque o próprio Zé de Amélia dizia para mim, ele se comportava como meu amigo e eu confiava na versão dele, que a CEP era completamente ilegítima e ilegal. Até que bem recente ao fato, encontrei com uma pessoa que me relatou que os vereadores estavam preparando uma cilada e iriam me cassar. Mas a idéia da cassação era deixar para o mais tarde possível. Eu fui então conversar com o presidente cerca de cinco dias antes da votação e disse: você está dizendo ser meu amigo, que essa Comissão não tem base legal. E garantia que os atos da câmara só teriam validade se passados por ele e não pelo presidente da Comissão. Então estava de boa fé, acreditando em tudo que era colocado. Nós fizemos, inclusive, um requerimento através do nosso líder Adauto Araújo para que ela fosse arquivada e não houve resposta e eu queria saber se realmente está do meu lado. E ele se comprometeu que resolveria o problema e não resolveu, articulou para que as sessões não atingissem o quórum. E nesse meio tempo já encaminhou a notificação que foi recebida por um de nossos advogados.
Zé de Amélia- A Comissão Especial Processante está em âmbito do Poder Judiciário e ninguém sabe quando serão julgados os agravos, as liminares, e o colegiado da Câmara entendeu na última sessão que o novo requerimento que foi dado entrada na Casa, pelo cidadão José Fernandes, tinha veracidade e com isso foram feitas todas as formalidades necessárias. A minha posição é de magistrado. Eu não sou oposição, nem situação. Eu tenho que conduzir a Câmara com total equilíbrio e alguns questionamentos foram feitos e respondidos à altura. Isso pra mim é irrelevante, esse tipo de questionamento não surte efeito nenhum, e dá cada vez mais vontade de agente continuar o trabalho. Isso não me afeta.
Parcerias:
Santana- Quero ter a Câmara como parceira, nunca me recusei a apurar uma denúncia séria vinda de lá. E estou disposto a ser parceiro de todas as instituições sérias que quiserem trabalhar pela moralização dos poderes. Mas, sempre que conversamos, ele promete e faz diferente. Pode até ser que tenha alguém fazendo terrorismo psicológico com ele. Acho que o que volta sempre à tona é a denúncia que pesa contra ele no Ministério Público Estadual.
Zé de Amélia- A Câmara não se opõe em nada, o que a Casa vem cobrando desde o primeiro dia da administração é um projeto vitorioso, grande, pois Juazeiro cresce, mas não desenvolve, e os responsáveis por esse desenvolvimento são os poderes constituídos e precisamos de tranqüilidade e de paz para que possamos trabalhar para junto com o crescimento, desenvolver nossa cidade. O que nós queremos é o melhor para o Juazeiro. Nós não queremos discussão, nem briga, nem acirramento. Juazeiro merece uma administração melhor, os políticos mais unidos, seja do partido A ou do partido B, seja no âmbito do município, estado ou união. Desde o primeiro dia deste mandato venho dizendo que os políticos devem descer dos seus palanques e se juntar, vestir a camisa da nossa cidade, para que a gente fortaleça o Município. Nós vamos passar a ter três deputados federais, isso é uma bancada forte, temos é que juntos lutar, Câmara, Prefeitura, Assembléia, Câmara Federal, e o senador do Cariri (Eunício Oliveira). Juazeiro representa uma macro região como a do Cariri, com grande importância. O que falta são os políticos nossos sentarem, esquecerem as eleições e se juntar e arranjar recursos para Juazeiro, trazer melhorias para que o desenvolvimento acompanhe esse crescimento. Pois a iniciativa privada faz o seu papel muito coerentemente. Hoje, Juazeiro cresce graças a iniciativa privada.